Quem não sabe pensar acredita no que pensa.

Quem sabe pensar desconfia do que pensa, e põe-se a repensar…

Os últimos dia de Bob Marley

Posted by teiversonalves em 5 de abril de 2007

“Como Jah determinou, em novembro de 1980, minha mãe estava recebendo um tratamento para o câncer na Clínica Issels, no refúgio montanhoso de Rotach-Egern, na Alemanha, quando Bob chegou lá. Ela sabia que eu gostava da música de Bob e me mandou um artigo sobre ele de um jornal alemão, que basicamente dizia que ele era um “Superstar do rock do terceiro Mundo”, que em junho havia cantado para dezenas de milhares de pessoas na Alemanha, tocando sua guitarra e entoando canções de liberdade para as pessoas de cor.

O artigo dizia que que ele estava criticamente doente, com um câncer de pulmão que se espalhava pelo seu corpo e estava sendo tratado pelo Dr.Issels, depois que especialistas americanos o terem se desenganado. Em fevereiro de 81, fui visitar a minha mãe por dez dias e acompanhei o programa “anticâncer” de Issels. Como em muitos tipos de medicina alternativa, o programa de Issel não era brincadeira. A maioria das pessoas que iam até a sua clínica haviam se submetido a quimioterapias, radioterapias e outros tratamentos que haviam falhado. Infelizmente, Bob estava muito doente e só falava quando falavam com ele.

A primeira vez que o vi foi quando ele veio da clínica para a sala de espera. Ele havia acabado de tirar os seus dreadlocks, o que era parte do programa. Estava cansado por causa disso e ficava se apoiando na parede. Estava com uma toca de crochê em estilo roots que cobria a sua cabeça careca. Não ficou lá por muito tempo e logo foi chamado para ver o doutor. A clínica estava sempre cheia. Era difícil conseguir um horário para os tratamentos de raio violeta, onde a luz era focada no corpo por 45 minutos. Uma noite, quando havia poucas pessoas na clínica, o médico jamaicano de Bob fez um acordo com o administrador para que Bob fosse submetido a esse tratamento, junto com outros dois pacientes. No terceiro andar, havia três camas no quarto onde era realizado o tratamento com divisórias que só iam até um pouco acima do chão, então você ficava perto da cabeça das pessoas.

Estava perto de Bob, então perguntei a ele como estava lidando com o tratamento, desde que o doutor Issels o proibira de fumar ganja. Não me lembro exatamente das palavras exatas, mas ele começou a falar sobre a Jamaica. Era quase como se ele estivesse em transe. Falou lenta e pensativamente e descreveu a beleza da Jamaica – as praias de areia branca, o sol quente… Falou com tanto sentimento e amor pela Jamaica que fez você se sentir como se estivesse lá, mesmo que eu soubesse que estava nevando forte lá fora. Era aniversário de Bob naquela semana (6 de fevereiro) e ele convidou algumas pessoas da clínica para uma festa de aniversário em seu apartamento. Antes que chegasse muita gente, ele veio até o quarto de espera e conversamos um pouco.

Minha mãe havia lhe contado que eu tocava e quando ela chegou, Bob pediu a sua mãe, Mrs. Booker, para trazer dois violões. Ela se apressou e os trouxe logo. Ele começou a tocar em um violão e eu no outro. Bob não tocou por muito tempo nem muito alto, talvez por uma meia hora, só fazendo uma canja. Todos estavam realmente contentes de vê-lo tocando e tive a impressão de que ele não vinha fazendo isso ultimamente. Também estavam lá Rita, Tyrone Downie, assim como a turma que estava sempre presente.

Eles trouxeram um bolo com os dizeres “Feliz aniversário Rei do Reggae”, mas lembro-me que “reggae” estava escrito errado. Infelizmente a maior parte do tempo da festa ele passou deitado no quarto ao lado. Não levou muito tempo para Jah levar Bob para casa. Ele tinha uma presença forte, mesmo quando a doença o havia reduzido a uma fração do que ele era. Ele parecia tão vulnerável e fora do seu ambiente, mas agora sei que ele está em um lugar melhor.”
bob
Zema – Los Angeles, Fevereiro de 1998

Sra. ISSELS

Podemos observar que esse texto trata um pouco de quem era Bob Marley, acredito que ele tinha encontrado sua paz interior e viveu dias de glória, então, precisamos procurar o mesmo. Para encontrar a paz, só existe um caminho, esse caminho encontra-se dentro de cada um de nós.

8 Respostas to “Os últimos dia de Bob Marley”

  1. Jean said

    Ainda bem que Bob pode passar uma boa mensagem para todos que curtem o reggae e sempre vai ser lembrado por ter tocado em feridas da nossa sociedade,e o seu desejo de liberdade vai continuar em nossos corações cada vez que escutamos sua musica.

    Valeu Rei…

  2. Edilaine said

    Nossa o Reggae tem muitas histórias, e assim que tem históias tem o nosso maior Rei o BOB, pessoa pela qual admiro muito que traz seus pensamentos para suas músicas, que por mais que perdemos ele sempre estará em nossos corações….Admiramos muito ele e suas canções ou canjas!!!!
    O mais importante é curtir sua música, com o pensamento de que ele fez tudo isso para seus maiores fãs, e que muitas pessoas valoriza e o homenageiam…Concerteza hoje ele descansa junto de jah!!!!

    Um grande abraço e um enorme beijo.

  3. elvis said

    ae
    bob eh firmaO E NGUEM VAI TIRA ece titulo
    a alma dele deve tar num mar de verde
    daonde sai a vida
    xD
    **

  4. Joana said

    Ele esta sempre presente, a sua musica da força, deixa os nossos coraçoes abertos e nossa mente solta.. é um exemplo a seguir.. nunca dexistir dos nossos sonhos..
    As suas letras eram escritas com o coraçao!! sao verdadeiras e puras !! simplesmente unicas!!

    Freedom!!

    Reggae is music!!

    ;)**

  5. monica said

    bem…mesmo q o Rei Bob Marley nao esta ca..estammos todos para homenagea-lo afinal Bob Marley e o meu REI!! musicas igual as dele nao ha melhor..foi e sempe será o Rei do Reggae!

  6. Ana said

    Incrível é a força que emana de Bob, mesmo depois de tantos anos de sua morte, gerações que chegam continuam amando-o como se vivo estivesse entre nós. Isto vai perdurar por muito tempo. Eu tenho 42 anos e fui apresentada a Bob Marley por meu filho adolescente, hoje com 20 anos.

  7. Linda Faria said

    Bob sempre será nosso Rei!
    Bob é imortal!

  8. Diego said

    Po legal essa historia….bob foi uma pessoa muito marcante msm…nao pelo sucesso mas pelo amor q o sucedeu….gostei de ter lido …esse texto…..falo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: